quinta-feira, janeiro 19, 2012

Gente de Loriga em Destaque - Rui Pina

Saiu ontem no Diário de Noticias na rubrica Economia uma noticia onde faz referência ao jovem  Rui Pina (Loriguense), filho de António Pina e de Fátima Lopes Pina.

Fica o registo:

Drogba e Ashley Cole não jogam sem estas caneleiras


Drogba e Ashley Cole não jogam sem estas caneleiras
Rui Pina
Fotografia © Global Imagens

Robustas, tecnológicas, personalizadas e nacionais são os adjetivos que melhor definem as caneleiras da SAK, que já tem os olhos postos em projetos noutras áreas. 


A SAK, que quer dizer Security Against Kicking, fez jus ao nome e depois do futebol já se estendeu ao hóquei e agora são os mercados da segurança e da medicina o novo foco desta empresa portuguesa que fabrica caneleiras personalizadas, com recurso a tecnologia 3D. A aventura de Filipe Simões e Rui Pina começou em 2008 quando desenvolveram uma tecnologia que usa "materiais inquebráveis e projetados para dissipar toda a energia dos impactos para conceber caneleiras".
À época havia um Mundial de Futebol e a seleção nacional estagiava em Viseu. Os dois professores deram-se a conhecer, e, como "jogador bem protegido é jogador mais confiante", as caneleiras entraram no gosto dos atletas, conta Rui Pina. Filipe Simões acrescenta que "as diferenças notam-se no desempenho em campo" e os jogadores nacionais assim o pensaram. O produto inovador acabou por entrar na área dos equipamentos de proteção desportiva no mercado mundial e hoje "são os jogadores que telefonam a pedir as caneleiras", atira Filipe. Jogadores como "Drogba ou Ashley Cole sabem que uma caneleira personalizada dá garantias de uma real proteção". Estava "descoberto um filão - em todo o mundo há 260 milhões de jogadores de futebol federados".
A tecnologia, "um processo não invasivo que recorre a um scanner para gerar uma imagem usada por um software que gera um modelo tridimensional a partir da geometria observada, permite a produção das caneleiras, que oferecem ergonomia e conforto únicos". As caneleiras são "fabricadas em materiais compósitos, leves e resistentes que encaixam perfeitamente na perna do jogador", garante Rui.
Do Manchester United ao Real Madrid, sem esquecer a seleção nacional e o futebol asiático, as caneleiras são um sucesso e já permitiram à empresa alargar-se ao hóquei, a qual fornece a equipa nacional.
Os dois sócios, professores com formação em materiais compósitos e modulação tridimensional, sabem que este "é um material com grandes potencialidades desportivas, na segurança e na medicina. Em tudo que seja necessária proteção para o corpo humano". E levaram a tecnologia ao último Fórum Têxteis do Futuro. Posteriormente ganharam o Prémio Inovação da Associação Empresarial de Viseu, "15 mil euros aplicados na empresa", e obtiveram o reconhecimento do mercado. Este ano a empresa "irá dar um salto gigante através da entrada de um sócio financeiro que permitirá à SAK passar a ter capacidade produtiva e controlar todo o processo", que atualmente é subcontratado a várias empresas. (in http://www.dn.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=2247411)
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário